Arquivos de Tags: comidas típicas

Quando meu interesse voltou…

Quando meu interesse voltou-se para a cultura tradicional da região dos Balkans, mostrou o que de profundo eu tinha, me vi criança percorrendo os caminhos da memória cutucada pelo perfume e gosto acordado pela fatia de pão quente recoberta de patê de pimentão “Liuteniza”, aonde agora adulta me acompanhava um copo de vinho tinto na mão. Uhm que delicia! Postei no Facebook esse comentário e percebi quanta gente dividia comigo o mesmo sentimento.

Algum tempo depois…
As histórias surgiram espontâneas vindas de muita gente que encontraram em mim uma ouvinte atenta, cheia de perguntas e curiosidades despertadas pela alegria sem embaraços e risadas francas provocadas pelas anedotas tiradas do fundo baú por uma velha senhora que ali estava toda feliz comigo!

Meu olhar vagarosamente espreitava o rosto firme e orgulhoso das pessoas que ainda pouco numerosas chegavam para festejar mais um dia em homenagem aos pioneiros vindos de longe e que encontraram naquele lugar um novo lar, abrigo para suas aspirações, sonhos de uma vida e uma existência perfeita, porque ainda ligada à terra natal, e que foi marcado um dia pelo gesto generoso de um senhor que pousou a pedra fundamental de uma igreja, livremente acolhida pelos habitantes do lugarejo que surgiu entorno e que recebeu desde 80 anos atrás o nome de vila Zelina, a filha celebre de um imigrante.

Hoje o local é lugar de uma belíssima festa que se repete pela terceira vez no mesmo período de São José.

O que tem de diferente respeito a outros lugares onde estive? As pessoas, pessoas que preencheram cada minuto meu e fizeram-me sentir mais próxima de onde eu vim porque encontrei gente que como eu parti na busca do sonho, e apesar das tantas dificuldades construíram um espaço novo na vida, sem nunca se esquecerem de suas raízes.
Trouxeram consigo tradições que pouco a pouco se adaptaram ao novo lugar mantendo-se integras na sua essencialidade.

A festa como sempre é auto-financiada e mesmo que em continuo crescimento agrega e compartilha com seus visitantes as motivações que encantam e enganam o tempo por manterem-se intactas no que lhe faz verdadeiramente autentica e única no seu gênero.

Artesanatos, comidas típicas, vestiário colorido, músicas e danças, coisas que despertam e dão vontade de participar, unem com saudável nostalgia o Brasil e os países do leste europeu enriquecendo-me as lembranças com as tradições revisitadas nos fazendo mais felizes!

Neste espírito acredito contribuir na construção de uma ponte que une o passado ao futuro neste presente revelando a todos uma velha boa receita caseira:

O patê de pimentão “Liuteniza”

Ingredientes
• 8 pimentões vermelhos sem pele
• 4 dentes de alho
• 1/2 copo de vinagre
• 1 copo de azeite extra virgem
• 6 tomates sem sementes
• 1 cebola graúda
• Sal e pimenta vermelha a gosto

Modo de Preparo
1. Bater os ingredientes no liquidificador
2. Levar ao fogo para cozinhar por 15 minutos
3. Espere esfriar e sirva com torradas e etc.

Esta é uma das maneiras rápidas para preparar o patê de pimentão espero queiram experimentar!


Galeria de Fotos

Festa & Feiras Temáticas de Vila Zelina

Festa & Feiras Temáticas de Vila Zelina

“Bairro Leste Europeu de São Paulo”

Artesanato & Comidas Típicas das Comunidades de Imigrantes da Bulgária, Hungria, Lituânia, Rússia, Ucrânia e da Vila Zelina.

1 de Julho – Feira Especial de Inverno

30 de Setembro – Feira Especial das Crianças

20 & 21 de Outubro – Festa do Aniversario de Vila Zelina

9 de Dezembro – Feira Especial de Natal

Das 10 às 16h na Rua Mns Rio Ragazinskas

Organização & Realização: AMOVIZA (http://amoviza.org.br)

Conheça a Bulgária: a segunda pátria de Dilma Roussef

Com cidades permeadas de história e cenários naturais belíssimos, o país se destaca como destino de aventura

A 200 quilômetros de Sófia, ao pé dos Bálcãs, está Grabovo, no coração geográfico da Bulgária. Neste vilarejo de poucos habitantes nasceu, em 1900, Petar Stefanov Rusev que, ainda criança, migrou para o Brasil.

Conhecido aqui como Pedro Roussef, tornou-se o pai de Dilma Roussef, recém-eleita presidente do Brasil. A antiga casa da família foi demolida na década de 1940, e, no lugar, a prefeitura construiu um estacionamento. O museu dessa cidade tem uma única foto de como era a casa da família Roussef, um sobrado de três andares.

É claro que a Bulgária tem muito mais encantos do que a fotografia em um museu recordando as origens da nova presidente do Brasil. Junto com uma variedade de monumentos históricos que vai do período medieval passando pela arquitetura soviética, o país conta também com uma natureza privilegiada, perfeita para esportes de aventura, como escalada, espeleologia, trilhas e pedaladas pelas montanhas.

Sófia é uma das capitais mais antigas da Europa, com origens nos assentamentos dos trácios, no século VIII a. C. Hoje, a cidade com mais de 1,4 milhão de habitantes transpira história em meio a uma bela arquitetura combinada a muito verde, vida noturna e compras.

A principal área de compras é o Boulevard Vitosha, no qual é possível encontrar produtos locais, roupas, sapatos, artesanato e vinhos. A vida noturna passa por bares e restaurantes que exaltam a cultura local com música, principalmente a chalga, um mash-up de música cigana com batidas tecno e dance.

FESTIVAL DE ROSAS

A Bulgária é um país cheio de tradições rurais, com atrações como o Vale das Rosas, onde a flor é cultivada há séculos. Entre maio e o começo de junho, as plantações entram em florada e diversas cidades da região celebram o Festival das Rosas. Festividades folclóricas com música, dança e comidas típicas são parte importante da cultura local e há dezenas deles acontecendo pelo país ao longo do ano. Os dois mais importantes acontecem em agosto: o Koprivshtitsa, próximo a Sófia, e o Pirin Sings, na cidade de Predel.

AVENTURA

As montanhas da Bulgária favorecem os esportes de aventura. As paisagens espetaculares dos canyons e cavernas de mármore em Trigrad Gorge, nas montanhas Ródope, são perfeitas para escalada e espeleologia. Ali, contrastando com as paredes de pedra de cerca de 250 metros de altura, há a Garganta do Diabo, desfiladeiro a partir de onde foi construído um túnel que dá acesso a cavernas com cachoeiras subterrâneas. São cerca de 150 cavernas na região, muitas delas perfeitas para escalada e frequentemente recobertas de vestígios arqueológicos pré-históricos.

Os fãs de vida natural devem também incluir no roteiro os parques nacionais da Bulgária, com as florestas de pinheiros de Bailusheva e rochedos de limestone do Parque Nacional de Pirin. Junto com montanhismo, a escalada também pode ser praticada nas regiões de Vratsa, Veliko Tarnovo, Trojan, Maliovitza e Roussenski Lom. Os parques nacionais, por si só, valem a visita. No Parque Nacional de Rila, vale visitar os sete lagos e o monastério local, uma das principais atrações da cidade.

Ainda nas montanhas Ródope, há vários roteiros de pedal, muitos bastante puxados e emocionantes, com altimetria que chega a até 1600 metros de altitude. De dezembro a maio, as montanhas abrigam resorts de ski. Quaint Bansko é uma das regiões que passou recentemente a investir em infra-estrutura para esquiadores, localizada na cidade histórica ao pé das montanhas Pirin. Em Pamporovo, nas montanhas Ródope, e nas montanhas Rila, também há resorts para a temporada de ski.

No verão, a Bulgária é privilegiada por ser um dos poucos países dos Bálcãs com acesso ao litoral, pelo Mar Negro. Em Varna, a areia é branquinha e o mar calmo. A cidade abriga o Museu Arqueológico de Varna e os monumentos históricos ao ar livre são uma atração à parte, com ruínas trácias, romanas, medievais e renascentistas. Entre eles, há termas romanas e a maior igreja do país, a Igreja da Assunção. Também não faltam em Varna butiques e joalherias, na tradição de ourivesaria búlgara.

A Praia do Sol tem o maior complexo litorâneo do país, o Sunny Beach. A alta estação é entre maio e setembro, e, curiosamente, o resort começou suas atividades durante o regime comunista, em 1958, recebendo turistas atraídos pelas águas termais. Recentemente, a região passou por um boom hoteleiro e mobiliário que trouxe vida à região, com bares, restaurantes e boa infraestrutura.

Zlatni Piasatsi, que significa areias douradas em búlgaro, é outro destino quente no litoral, com facilidade de acesso a partir de Varna. A cidade não tem nomes nas ruas e as pessoas se orientam pelos nomes dos hotéis.

Fonte: http://turismo.ig.com.br